2 fev

A terapia das relações familiares

const3

 

A Constelação Familiar Sistêmica é uma abordagem terapêutica desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger que descobriu que relações familiares conflituosas podem gerar problemas de saúde, de comportamento entre outros, em várias gerações de uma família.

A Constelação é uma abordagem que olha para todo sistema familiar até encontrar a origem do mal estar. Pode ser realizada individualmente, com auxílio de bonecos, ou em grupo.

Para que uma Constelação Familiar aconteça em um grupo é necessária a presença do constelador, do constelado, de um grupo de participantes e dos representantes:

Constelador: pessoa habilitada em Constelação Familiar, o facilitador do processo que trabalha  o tema solicitado pelo constelado, a partir das informações dos representantes e das leis sistêmicas visando à harmonização daquele sistema familiar. Uma constelação pode ter um efeito concreto imediato, dar início a um movimento em direção à solução ou ampliar a percepção sobre a questão tratada.

Constelado: o cliente que tem um tema, um problema a ser resolvido, seja ele de ordem física, emocional, comportamental ou financeira.  Apenas um tema é trabalhado durante uma constelação.

Grupo de participantes: são as pessoas presentes na Constelação e não precisam conhecer o constelado ou sua história. Para elas é uma experiência tocante, profunda e enriquecedora.

Representantes: são as pessoas que representam o cliente, as pessoas de sua família, sua dor, seu país ou uma situação específica. São convidados, podendo aceitar ou não, entre os participantes e expressam as relações familiares através de sua postura, movimentos e sentimentos aflorados no momento em que ele entra no “campo” da Constelação. O que se mostra nos representantes são as relações, processos e efeitos psíquicos e não as próprias pessoas.


Autora: Vera Cyrineu é Pedagoga, com especialização em Psicopedagogia, Constelações Familiares Sistêmicas, Terapia Corporal, Transdisciplinaridade em Saúde, Educação e Liderança, Reiki.


Saiba mais sobre nossa atividade de CONSTELAÇÔES FAMILIARES

2 jan

Para que o amor volte a fluir

family

 

Terapia breve, a Constelação Familiar Sistêmica é uma abordagem terapêutica que permite que o Amor que estava bloqueado possa fluir. Se na grande família – pais, filhos, avós, bisavós, trisavós, tios, antigos companheiros – alguém foi excluído por algum motivo ou também se houve algum luto não elaborado em uma das gerações, o Amor fica bloqueado e acontece o fenômeno da história se repetir em várias gerações.

Ex.: a avó separou-se do marido aos 40 anos. A filha e a neta também se separam. O avô foi à falência. O pai e o neto também. Problemas de comportamento, questões de saúde física ou mental, questões profissionais ou financeiras, podem ter origem sistêmica, ou seja, a pessoa em questão, por lealdade e amor, inconscientemente repete a história de pessoas de outras gerações. É comum ouvirmos expressões como: “Tal pai, tal filho”, “É o avô esculpido”, “Tem a cabeça dura igual o tio fulano”.

Na Constelação reúne-se um grupo de pessoas, que podem ser desconhecidas entre si, e a pessoa que deseja ser constelada. Esta apresenta ao constelador o seu tema, a sua queixa, aquilo que a incomoda, em poucas palavras. Não é necessário se aprofundar na questão. De acordo com a questão do cliente, o terapeuta poderá pedir que escolha e posicione pessoas para representar alguns membros familiares. O Campo daquela família se apresenta e os representantes captam os movimentos, sentimentos e sensações dos representados. Através destas informações o terapeuta percebe qual a intervenção necessária para que se chegue a uma solução satisfatória para aquela família.

Apenas uma pessoa da família é constelada e o benefício se estende a todo sistema familiar.  Os representantes e as demais pessoas presentes durante uma constelação, muitas vezes pegam “carona” na história daquele que constelou e também são beneficiados.


Autora: Vera Cyrineu é Pedagoga, com especialização em Psicopedagogia, Constelações Familiares Sistêmicas, Terapia Corporal, Transdisciplinaridade em Saúde, Educação e Liderança, Reiki.


Saiba mais sobre nossa atividade de CONSTELAÇÔES FAMILIARES

1 nov

Reflexão sobre o Holismo

zen

 

Holismo é uma ideia originada do grego “holos”, que significa ‘todo, integral, completo’.

Heráclito de Éfeso, filósofo do século VI a.C. já dizia: “A parte é diferente do todo, mas também é o mesmo que o todo. A essência é o todo e a parte”.

Nessa visão percebemos a realidade numa relação mútua, dialética entre fenômeno e essência, particular e universal, matéria e consciência.

A visão holística se contrapõe a visão dualista, fragmentadora e mecanicista, que ao longo desses séculos de civilização tecnológica e de racionalismo desacerbado, despojou o ser humano da sua unidade. Trata-se de uma atitude diante da realidade, uma forma de compreender o mundo como um espaço de intercambio dinâmico entre Ciência, Arte, Filosofia e as diversas tradições Espirituais.

Terapia Holística
A Terapia Holística tem como objetivo tratar o ser completo, ou seja, Corpo Mente e Espírito. Se ignorarmos qualquer uma dessas áreas ficaremos incompletos, não seremos um todo.

Ao corpo, devemos observar a melhor maneira de nos alimentar, saber os efeitos que determinados alimentos podem nos causar, fazendo assim as melhores escolhas para nosso corpo, como ervas e vitaminas, homeopatias e remédios naturais.

Os exercícios físicos nos fortalece os músculos, melhora nossa capacidade cardiovascular e mantem nosso corpo jovem. Entre tantas opções temos Dança, Chi Kung, Taichi, Artes Marciais, Yoga e outras atividades como massagens, acupuntura, bioenergética etc.

Para a Mente, podemos explorar várias técnicas psicológicas como, Gestalt, Hipnose, Psicodrama, Regressão etc. É muito importante também a Meditação, que é uma forma de acalmar a mente e permite que seu próprio conhecimento venha à tona.

Para o campo Espiritual, podemos optar pela prece, meditação, participar de grupos religiosos, escolher dentre tantos caminhos o que melhor adaptar a sua busca, ou ainda começar a praticar o perdão e dar amor incondicional.


Autor: Ms. Claudio Ribeiro é Terapeuta holístico, Educador físico, filósofo, psicopedagogo, mestre em artes marciais


Saiba mais sobre nosso serviço de TAI CHI CHUAN